sábado, 9 de setembro de 2017

Mascaras mexicanas em Lisboa

Do Carnaval à Luta Livre. Máscaras e Devoções Mexicanas no Museu de Lisboa.

Mais de 250 máscaras mexicanas, além de revistas de banda desenhada, videos, posters e fotografias de lucha libre.

Até 1 de Outubro 2017

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Bergman no Nimas de novo



O Nimas recomeçou o ciclo dedicado a Ingmar Bergman. Até 13 de Setembro passarão pela (desconfortável) sala do Nimas
O Olho do Diabo (29),

Rumo à Felicidade (30),
O Rosto (31),
Luz de Inverno (1),
Mónica e o Desejo
(2),

O Sétimo Selo (3),
A Força Do Sexo Fraco (4),
Uma Lição de Amor (5),
Morangos Silvestres (6),
O Silêncio (7),
Um Verão de Amor (8),
Sorriso de Uma Noite de Verão
(9),

Sonata de Outono (10),
A Máscara
(11),

Cenas Da Vida Conjugal (12) e
Fanny e Alexandre (13).

Não sei se sabem, nem sei se vos interessa, mas A Máscara (Persona) é o filme da minha vida.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Valerian


Um dos heróis mais bem sucedidos da escola franco belga dos anos 60-70 (Tintin/ Spirou/
Pilote), Valerian chega ao cinema muito tarde, e muitos espectadores mais jovens poderão ser levados a pensar que as aventuras do agente espácio-temporal são inspiradas na Guerra das Estrelas ou na Marvel.
Valerian surge como uma espécie de resposta francesa aos filmes de super-heróis ou de aventuras espaciais americanos, mas a verdade é que, conhecendo a BD, muitos dos monstrinhos da Guerra das Estrelas parecem ter sido retirados dele.  
Paternidades à parte, as aventuras de Valerian e Laureline perderam muito da magia (porque aquilo nunca foi verdadeiramente ficção científica, convenhamos) e do romantismo da BD original e Luc Besson - o realizador escolhido,  experiente nestas coisas de efeitos especiais - acrescentou umas cenas de perseguição e porrada para agradar o público mais jovem, e não se saiu mal de todo, dados os constrangimentos (que obrigaram também a que o filme fosse falado em inglês); conseguindo mesmo alguns bons momentos, como as dimensões que atravessavam o mercado negro, o casamento de Laureline (porrada à parte), ou o show da Rihanna, sendo de lamentar as tão curtas aparições de Herbie Hancock. Excelente é o monstrinho que caga pérolas e outros preciosidades, e os três impagáveis shingouz, mas esses são mesmo originais de Mezieres e Christin.
Não estava à espera de um grande filme e diverti-me. Fico à espera do próximo. 

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Paterson

Paterson
Paterson é a história de um condutor de autocarros que escreve poemas. Sem perseguições de automóveis, sem pancadaria, sereno, poético, rigoroso, Paterson, o filme de Jim Jarmusch é um dos mais belos filmes do ano.

(Atenção: o filme já está em exibição nas salas nacionais há um mês, pelo que já deve estar a sair)